SEGUNDA FEIRA, 21 DE OUTUBRO DE 2019
Publicada dia: 05/10/2019

Barco romano afundado há 1,8 mil anos é achado no Mediterrâneo

Fonte: Megacurioso

Um barco milenar naufragado foi descoberto nas proximidades da praia de S’Arenal, na Ilha de Maiorca, na Espanha, contendo um rico material arqueológico. Conforme as autoridades locais, a embarcação é da época do Império Romano e tem cerca de 1,8 mil anos. Apesar da idade, ela se encontra em excelente estado de conservação.

(Fonte: Consell de Mallorca/Divulgação)

Responsáveis pela escavação arqueológica do naufrágio, os pesquisadores do Balearic Institute of Maritime Archeology (IBEAM) encontraram 93 ânforas de estilo greco-romano em meio aos destroços. A julgar pela idade dos materiais e a rota que o navio seguia, acredita-se que os potes de cerâmica eram utilizados para transportar produtos como vinho, azeite e um tempero feito de peixe muito usado pelos romanos.

A história dessa embarcação remonta a um período próximo à metade do século III d.C., de acordo com representantes do Ministério da Cultura, Patrimônio e Política Linguística de Maiorca. Ela teria partido de algum porto ao sul da Península Ibérica em direção a Roma, provavelmente, e por algum motivo acabou se afundando na região da ilha espanhola.

O que teria acontecido ao barco romano?

Ainda não se sabe o que teria motivado o afundamento da embarcação romana achada em Maiorca. Mas uma coisa é certa até o momento: a causa não foi violenta, de acordo com os especialistas contratados para recuperar o material naufragado.

(Fonte: Consell de Mallorca/Divulgação)

O excelente estado de conservação dos restos arqueológicos achados no fundo do mar levou os pesquisadores a descartar a hipótese de um ataque lançado por inimigos dos antigos romanos. Outra possível causa para o afundamento seria uma forte tempestade, mas ela também já foi rejeitada.

Segundo os estudiosos, a causa mais provável para o naufrágio do barco romano é um furo em alguma parte da embarcação ou um golpe que teria atingido o convés.

Ânforas serão restauradas e expostas

A operação de retirada do barco romano naufragado envolveu a participação de diversos profissionais, incluindo representantes da Marinha espanhola, especialistas em arqueologia subaquática e até um restaurador de materiais resgatados no fundo do mar.

O material recuperado durante a intervenção nesta parte do Mediterrâneo será restaurado e passará a fazer parte do acervo do Museu de Maiorca, em breve.