SÁBADO, 08 DE AGOSTO DE 2020
Publicada dia: 18/06/2020

Conheça 9 profissões peculiares que não existem mais

Fonte: megacurioso

1 – Despertador humano

Fonte da imagem: Reprodução/BoredpandaFonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Muita gente iria querer um desses ainda hoje, é verdade, mas já houve um tempo em que pessoas andavam pelas ruas batendo em portas e janelas alheias, fazendo barulho, tocando apito para acordar todo mundo. Já pensou?

2 – Arrumador de pinos de boliche

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Esse devia ficar cansado, não é?

3 – Caçador de ratos

Fonte da imagem: Reprodução/BoredpandaFonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Era muito comum que pessoas trabalhassem caçando ratos na Europa, na tentativa de acabar com a infestação desses animais causadores de muitas doenças.

4 – Telefonista

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Antigamente, para fazer uma ligação, era preciso falar com uma dessas mocinhas primeiro. Elas eram as responsáveis, por exemplo, por conectar chamadas de longa distância e outras tarefas que hoje são feitas digitalmente.

5 – Cortador de gelo

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Esses profissionais retiravam blocos de gelo de lagos congelados para que o material pudesse ser usado na refrigeração de alimentos e afins. A profissão era superperigosa, como você deve imaginar.

6 – Acendedor de poste

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Antes da energia elétrica, a iluminação noturna era à base do fogo de velas e lampiões que funcionavam com fogo e querosene. Quando o dia acabava, havia sempre alguém que saía pelas ruas acendendo os postes.

7 – Leitor

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Algumas empresas contratavam pessoas para ler para seus funcionários durante o expediente. A intenção era deixar todo mundo entretido.

8 – Ressurreicionista

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Esse não devia ser o trabalho dos sonhos de ninguém, afinal o profissional dessa área era responsável por desenterrar cadáveres no século XIX. Tudo, é claro, em nome da Ciência: os corpos eram usados em pesquisas por diversas universidades. Logicamente, esse não era um processo legal, mas era o único jeito encontrado por muitas instituições para que seus alunos pudessem estudar Anatomia.

9 – Radar humano

Fonte da imagem: Reprodução/Boredpanda

Era com gerigonças como essas que soldados tentavam prever a chegada de aeronaves de tropas inimigas. Haja tímpano!