SÁBADO, 25 DE MAIO DE 2024
Publicada dia: 21/08/2023

4 ERROS SOBRE AS ARTES MARCIAIS DIFUNDIDOS NO CINEMA

Fonte: https://www.megacurioso.com.br/artes-cultura/127082-4-erros-sobre-as-artes-marciais-difundidos-no-cinema.htm

Se você é fã de alguma arte marcial, é bastante provável que seu primeiro contato com ela tenha se dado a partir de filmes. Hollywood ajudou a criar um imaginário coletivo sobre lutadores altamente letais capazes de dar chutes voadores, golpes certeiros e executar movimentos precisos.

Mas sentimos dizer que o cinema também nos apresentou performances que estão mais no campo da ficção do que da realidade. Confira 4 equívocos sobre as artes marciais difundidos pelos filmes.

1. Dá para matar usando apenas um dedo?

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

 

Quem assistiu a Kill Bill 2, de Quentin Tarantino, deve ter adorado a cena em que a personagem de Uma Thurman mata seu ex-chefe, Bill, usando um golpe secreto que teria sido ensinado a ela por Pai Mei, um mestre tibetano de kung fu. Ele envolve tocar cinco pontos no corpo de Bill com os dedos. Depois disso, quando Bill dá cinco passos, seu coração explode.

Golpes semelhantes aparecem em outros filmes de artes marciais, e são chamados de dim mak, que, em cantonês, quer dizer "toque da morte". Esses golpes são uma ficção que surgiu a partir dos ensinamentos da acupuntura. Eles se baseiam na ideia de usar a energia chi do corpo para curar ou, supostamente, matar. Mas o fato é que ninguém nunca conseguiu fazer isso.

2. Barulhos exagerados

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

 

Todo filme que apresenta artes marciais costuma ser repleto de sons que surgem dos corpos humanos quando se chocam. Mas, nas lutas reais, os barulhos produzidos pelos golpes são bem mais suaves do que o cinema mostra.

Golpes no corpo humano não costumam ser tão barulhentos. Só que isso os torna menos convincentes quando transpostos para a tela. Por isso, os cineastas recorrem a truques, acrescentando sons extras que fazem as cenas ficarem mais espetaculares.

Ren Klyce, que foi engenheiro de som do filme Clube da Luta, que teve muitas cenas de briga, contou como criou os efeitos sonoros: "nós batemos em carcaças de frango com tacos de beisebol, esmagamos nozes, jogamos pernas de porco e depois misturamos esses sons. Fizemos uma extensa biblioteca de golpes". Parece bem real, mas o barulho que você ouve em tela pode ser apenas o de uma melancia sendo esmagada.

3. A tolerância infinita aos golpes

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

Outro clichê recorrente dos filmes de luta é mostrar um herói apanhando sem parar. Ele pode levar chutes, pontapés, socos, ficar inconsciente e mesmo assim conseguir continuar de pé e lutando. Mas será que isso é possível?

Na verdade, se uma pessoa for nocauteada com um golpe preciso, ela costuma voltar a si entre 10 segundos e 5 minutos no máximo. Se isso não acontecer, é muito provável que ela tenha sofrido uma lesão grave no cérebro, como uma concussão ou uma hemorragia. Os sinais de que isso aconteceu podem ser o desmaio, a náusea, a tontura e a desorientação.

É impossível que alguém que foi atingido dessa forma volte a lutar, como acontece nos filmes. Lesões no cérebro podem ser gravíssimas, e muitas vezes induzem a pessoa ao coma. Não por acaso, a doença de Parkinson é bem comum entre os boxeadores, que costumam dar e levar socos na cabeça.

4. Lutando sozinho contra uma multidão

(Fonte: GettyImages)(Fonte: GettyImages)

Uma cena recorrente nos filmes de artes marciais é a que mostra o herói lutando sozinho contra um grande bando, e saindo vitorioso. Além disso, muitas vezes os inimigos estão armados!

Na vida real, mesmo um grande campeão de MMA que se metesse a enfrentar vários oponentes ao mesmo tempo provavelmente sairia morto ou mutilado. O "truque" usado nos filmes é bem simples: note que normalmente os vilões esperam para atacar o mocinho um de cada vez. Em um ataque real contra uma multidão, é bastante improvável que os inimigos fossem tão educados assim.