QUINTA-FEIRA, 18 DE ABRIL DE 2024
Publicada dia: 03/10/2023

5 MITOS SOBRE O PASSADO NOS QUAIS VOCÊ PROVAVELMENTE ACREDITA

Fonte: https://www.megacurioso.com.br/artes-cultura/127445-5-mitos-sobre-o-passado-nos-quais-voce-provavelmente-acredita.htm

Muito do que imaginamos sobre o passado foi influenciado por obras de arte ou conceitos que já foram derrubados por pesquisas científicas. Ainda assim, alguns desses mitos persistem e continuam se espalhando, tornando-se verdades irrefutáveis na imaginação coletiva.

Por isso, decidimos publicar esta lista com alguns desses mitos sobre a antiguidade. Ainda que muito populares, lembre-se eles: não refletem a realidade do passado. Vamos conhecê-los?

1. Os dinossauros se pareciam com os répteis atuais

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

 

Sempre que falamos dos dinossauros vem à nossa mente a imagem de lagartos esverdeados gigantescos, como os que vimos nos filmes da franquia Jurassic Park, não é mesmo?

Acontece que os dinossauros não eram exatamente daquela forma. Pesquisas recentes afirmam que a maioria desses animais tinham penas e eram mais coloridos, lembrando os pássaros. Diversos fósseis de dinossauros chineses, que viviam na Terra há 160 milhões de anos, corroboram com essa hipótese.

2. Gladiadores lutavam até a morte

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

 

Historiadores afirmam que a ideia de que os gladiadores eram levados a lutar até a morte não é verdadeira. É claro que muitos desses lutadores morriam em combate, devido à violência da batalha, mas a morte deles não interessava aos seus senhores.

Em primeiro lugar, treinar um gladiador levava tempo e consumia recursos, logo, ver ele morrendo significava prejuízo. Além disso, quem organizava as batalhas alugava gladiadores. Caso os lutadores morressem, o locador deveria indenizar o dono dos escravos.

Então, ainda que uma plateia sanguinária desejasse ver essas pessoas se matarem em combate, nos bastidores outros indivíduos ficavam preocupados quando isso ocorria.

3. Os gladiadores tinham músculos bem-definidos

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

Outro mito sobre os gladiadores é que eles tinham músculos bem-definidos, como os atletas atuais. Atualmente, existe muita pesquisa sobre alimentação e treinos. Naquela época, não.

Os gladiadores consumiam mais alimentos do que outros grupos de escravos, o que indica que as pessoas daquele período tinham uma noção básica de nutrição, mas, ainda assim, eles consumiam apenas os alimentos disponíveis da estação. A dieta deles era baseada em grãos, como a cevada.

Logo, eles acumulavam gordura, ainda que fossem atletas. Isso não era algo ruim. A gordura era uma forma de proteger o corpo dos golpes e de acumular energia. Sendo assim, é possível que muitos gladiadores tivessem uma barriguinha saliente em vez de um tanquinho trincado.

4. As pirâmides do Egito sempre foram amareladas

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

A imagem das pirâmides egípcias é tão famosa que nem sempre nos lembramos de que o que vemos hoje são ruínas do passado. A verdade é que as pirâmides eram muito diferentes, a começar pela cor.

Quando inauguradas, as pirâmides eram brancas. Elas eram revestidas com pedras de calcário branco e polidas para que refletissem o sol. Durante o dia, não era fácil olhar para as pirâmides. Com o passar dos séculos, esse revestimento foi sumindo, dando lugar aos blocos amarelados que vemos hoje.

5. Não existia “caixa de Pandora”, mas, sim, um vaso

(Fonte: Getty Images)(Fonte: Getty Images)

 

Você já deve ter ouvido falar do mito da caixa de Pandora, né? Nele, Pandora, a primeira mulher do mundo, recebe uma caixa de Zeus. Nessa caixa estariam guardados todos os males do mundo. Pandora abre a caixa, deixando esses problemas escaparem. Ao tentar fechar o objeto, ela consegue prender apenas a esperança.

Acontece que historiadores argumentam que a tradução de Erasmo de Rotterdam, realizada no século XVI, continha um erro. O tradutor confundiu a palavra grega pythos com pyxis. A primeira se referia a um recipiente em que era colocado azeite. Já a segunda palavra significava caixa.

Então, Pandora não recebeu uma caixa de Zeus, mas um objeto similar a um jarro. Talvez, o termo certo seria “jarro de Pandora”, mas agora é tarde para tentar mudar isso, né?